"Muita indignação”, diz tio de jovem assassinada sobre alvará de soltura de acusado


O tio da jovem Bruna Torres, uma das vítimas da morte brutal que ocorreu em setembro, no Distrito Industrial de Petrolina, Manoel Agostinho, recebeu com muita tristeza a notícia da decisão da justiça em ter libertado um dos acusados de assassinar Taiane de Souza Rocha e Bruna Torres de Souza, ambas de 19 anos. Lindolfo Nunes da Silva deixou a Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes, por volta das 21h de ontem (13).
"Eu recebi essa informação com bastante surpresa da soltura. É lamentável que isso aconteceu e nós da família esperávamos por justiça e que os acusados pudessem pagar pelo crime que cometeram. Recebo com muita indignação, como toda a sociedade petrolinense que está revoltada com tudo isso. Ninguém em sã consciência pode aceitar que um crime tão bárbaro como esse que os acusados saiam impunes", desabafou.
Recurso
Manoel garantiu que a família entrará com recurso e tudo que puder ser feito, baseado na lei, farão."Nós vamos recorrer, nós vamos atrás, pois o que nós queremos é que a justiça seja feita".
Questionado se a família tem conhecimento se o acusado de fato teve participação no crime, ele disse que o que se sabe é o que foi testemunhado no dia do ocorrido e pelo que foi dito pelo Lucas Conceição, "O Lucas afirmou que ele, o Adolfinho foi o mentor de todo o crime, mas tivemos informações também no dia do julgamento de que houve uma mudança na versão e não sabemos o porque. Mas a polícia deveria ter ido atrás de elementos mais consistentes que pudesse comprovar a autoria do crime".
Julgamento
Após um julgamento de instrução do caso que ocorreu no Fórum Dr. Souza Filho, a sentença será dada no início de 2017 e a família espera, segundo Manoel Agostinho é que a justiça seja feita, "A nossa esperança é que a justiça seja feita. Um crime de tanta crueldade, não só a família mas toda a sociedade espera que os culpados sejam punidos", finalizou.
Em contato por telefone com o Promotor da 2ª Vara Criminal onde o processo corre, Drº Júlio César Soares Lira, o mesmo afirmopu que não participou da audiência de instrução por estar de férias, mas ao retornar vai analisar o processo, formar uma opinião e conceder uma entrevista com mais detalhes do caso.
Alvará de Soltura
De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Pernambuco, o alvará de soltura de Lindolfo Filho Nunes da Silva foi expedido nessa terça-feira (13/12) em razão da revogação da prisão preventiva. O suspeito responde o processo em liberdade. Foi dada vistas ao Ministério Público e, em seguida, a defesa vai apresentar as alegações finais, para então o juiz apresentar a sentença, decidindo a realização ou não do Tribunal do Júri.

Fonte: Nossa Voz

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..