Trabalhadores rurais do Vale do São Francisco podem deflagrar greve geral - Blog Petrolina em Destaque

16 de fev de 2017

Trabalhadores rurais do Vale do São Francisco podem deflagrar greve geral



Os mais de 100 mil trabalhadores da hortifruticultura irrigada do Vale do São Francisco estão, desde a manhã de ontem (15), em estado de greve. A decisão foi tomada na terça (14), durante uma reunião entre os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Pernambuco e Bahia, a Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Assalariados Rurais de Pernambuco (Fetaepe) e as Federações de Trabalhadores na Agricultura dos dois estados (Fetape e Fetag-BA), depois de vários dias de escuta da categoria, em seus locais de trabalho.
Após 13 anos da última greve do segmento, os trabalhadores avaliaram que é impossível continuar a negociação com os empresários, que, durante seis reuniões entre as partes, só apresentaram propostas de retirada de direitos.
O Sindicato Patronal já foi comunicado oficialmente da decisão dos trabalhadores rurais, que vão esperar o prazo legal de 48 horas para darem início à paralisação. Entre as reivindicações da categoria estão o piso salarial unificado de R$ 987,00, cesta básica e reajuste de 10% para quem recebe salário acima do piso da categoria.
Porém, ao invés de buscar tratar de avanços, a classe patronal só tem apresentado propostas que colocam em risco direitos assegurados pela Lei e pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), em anos anteriores.  Entre os pontos expostos pelos empresários estão: o fim do direito do pagamento das horas in itinere (deslocamento dos funcionários ao trabalho); fim da remuneração de hora extra (sugerem a criação de banco de horas); fim dos 45 dias de estabilidade após a data base da CCT; e pagamento do transporte pelo trabalhador.
Negociações
As negociações da 23ª Campanha Salarial 2016/2017 da categoria no Vale do São Francisco (Pernambuco e Bahia), que foi iniciada no mês de janeiro, conta com a participação de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Belém do São Francisco, Inajá, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande (em Pernambuco); e de Abaré, Curaçá, Juazeiro, Sento Sé e Sobradinho (na Bahia); além de Fetaepe, Fetape e Fetag-BA, com o apoio da Contar, Contag, Cut e Dieese. As informações são da assessoria da Fetape. (foto/divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações

Seguidores