Após ser gasto R$ 300 mil e continuar fechado, Restaurante Popular de Petrolina passará por nova obra de reestruturação



Um ano após ser investido R$ 300 mil no Restaurante Popular de Petrolina, o local se encontra fechado e sem condições de atendimento a população. A placa com anúncio da obra de Modernização do Restaurante com recurso do Governo Federal através dos Ministérios das Cidades, que ainda se encontra no local, destaca o período de reforma, o qual teve início em dezembro de 2012 e seu término três anos depois, em dezembro de 2015.
Na época, foram liberados recursos no valor de R$ 275.443,60, que também estão evidenciados na placa. A obra realizada pela Prefeitura de Petrolina visava a implantação e qualificação de equipamentos, como: câmara fria para resfriamento e congelamento de carnes, mesas para cozinha em inox, fornos elétricos industriais, caldeiras a gás para cozimento, bandejas, bebedouros, lixeiras, dentre outros.
O objetivo da modernização era além de adequar o Restaurante  de acordo com normas técnicas, promover a ampliação da oferta de refeições diárias, que na ocasião eram de 2.000 refeições, entre almoço e jantar. Porém, após um ano do término da reforma, em dezembro de 2016, o local se encontrava fechado para atendimento ao público por não apresentar condições sanitárias e estrutura física adequada para funcionamento.
Com a mudança da gestão municipal, o prefeito Miguel Coelho anunciou, nesta segunda-feira (13), que assinará uma ordem de serviço amanhã (14) para reestruturação do Restaurante Popular da cidade. De acordo com informações da assessoria, serão destinados R$ 75 mil para reformas na estrutura física do prédio e mais R$ 58 mil em equipamentos, como itens de cozinha e refrigeração, além de mesas e cadeiras.
Apesar da boa ação do gestor, a população quer saber o que foi feito do recurso destinado a modernização do local. Onde foi parar o dinheiro investido? Com a palavra o Ministério Público e a Câmara de Vereadores.
Restaurante Popular de Petrolina
Inaugurado em 2006, o Restaurante possuía no seu quadro de funcionários,  uma Nutricionista, um encarregado, uma cozinheira profissional, três auxiliares de cozinha, sete auxiliares de serviço geral, um fiscal de salão e um caixa. Situado na Rua Januário Alves, Centro da cidade, o Restaurante oferecia refeições, entre almoço e jantar, para comerciantes, garis, industriais, idosos, desempregados, estudantes, servidores públicos, bancários, moradores de rua e pessoas da zona rural que vêm a sede do município.

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..