Em Petrolina, servidores municipais entram em greve geral por tempo indeterminado


Em Assembleia Geral Extraordinária realizada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina, SINDSEMP, realizada na manhã desta quinta-feira (16), foi deflagrada a Greve por tempo indeterminado, dos servidores municipais de Petrolina. As pautas da assembleia foram A Campanha Salarial 2017 e o Indicativo do Estado de Greve, definido na assembleia do dia 22 de fevereiro, mediante posição do Executivo em relação ao reajuste das categorias não contempladas na proposta apresentada ao sindicato.
O SINDSEMP solicitou que o Executivo evitasse o estado de greve, reavaliando a proposta em que apenas algumas categorias foram contempladas com o reajuste salarial, para que as demais também fossem beneficiadas. O secretariado municipal oficializou ao sindicato, que apenas no segundo semestre poderia dar uma posição diferente da proposta apresentada, o que, em outras palavras, significa que a proposta anterior estaria sendo referendada, e em votação da plenária, com apenas 3 votos contrários a greve, a grande maioria dos servidores presentes, em solidariedade aos colegas não contemplados, deflagraram GREVE GERAL, já que a luta sindical é coletiva.
Acreditando que a proposta pode ser melhorada, o Presidente do SINDSEMP, Walber Lins, ressalta que o sindicato aguarda uma contraproposta do Executivo. “A gente espera que venha uma contraproposta que viabilize todas as categorias, e uma condição melhor ao servidor, dentro da perspectiva que a própria Constituição já prorroga”, conclui.
O início da GREVE GERAL POR TEMPO INDETERMINADO se dará oficialmente na próxima terça-feira (21), pela manhã, quando os servidores se farão presentes na sessão da Câmara Municipal de Petrolina.

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..