Vereador Gilmar Santos realiza “Coletivo Na Rua” no bairro Terras do Sul, primeira plenária popular do Mandato Coletivo - Blog Petrolina em Destaque

20 de mar de 2017

Vereador Gilmar Santos realiza “Coletivo Na Rua” no bairro Terras do Sul, primeira plenária popular do Mandato Coletivo


Aconteceu no último sábado, 18/03, no bairro Terras do Sul, a I Plenária Popular “Coletivo Na Rua”, promovida pelo vereador Prof. Gilmar Santos que representa e desenvolve um mandato coletivo. A plenária reuniu lideranças comunitárias e moradores engajados na luta por melhoria na qualidade de vida da população dos bairros Terra do Sul, Mandacaru, Santa Luzia, São Jorge, José e Maria e bairros adjacentes, como Pedro Elias, Pedro Japão, Eduardo, Maria Lopes, Lenisse, Francisco Luiz, Santinha e Márcia Alves. O encontro foi em frente à Igreja, ao lado de um terreno em que a comunidade sonha que sejam construídas uma quadra poliesportiva e uma escola pública para os moradores. Hoje, o terreno é objeto de disputa com a paróquia, que já usufrui de uma parte significativa da área e foi escolhido como lugar por simbolicamente se tratar de um espaço que congrega a luta e o sonho de lideranças comunitárias para melhoria do bairro, mas é apenas um exemplo das muitas demandas da comunidade.
As mais de 50 pessoas presentes receberam o vereador e sua equipe com entusiasmo diante da proposta da Plenária do Mandato Coletivo. Os depoimentos expressavam, por um lado, a surpresa em ver um político indo a comunidade depois das eleições para ouvir e debater com o povo, e por outro lado, muita disposição das lideranças e dos comunitários em participar das discussões sobre políticas públicas de modo mais amplo, planejado e sistemático. Seu Francisco Luiz citou a importância de se ter maior participação popular no desenvolvimento e efetivação do Plano Diretor da cidade e Pedro Japão, presidente da Associação dos Moradores do Bairro Mandacaru, sugeriu que seria importante haver uma sessão da câmara dentro da comunidade. Muitas questionamentos sobre o uso do dinheiro público e cobranças foram feitas, as sugestões serão encaminhadas aos colegas na câmara de vereadores a fim de garantir, de modo cada vez mais profundo, o diálogo entre o legislativo com o povo e por sua vez, que o resultado desse diálogo possa ser ouvido e atendido pelo o prefeito Miguel Coelho.
Diante da agenda ofensiva do governo golpista e sua base aliada para retirada dos direitos dos trabalhadores, que sacrifica os mais pobres e mais vulneráveis, o encontro se apresentou como um processo pedagógico e de fortalecimento da democracia convidando o povo a participação efetiva e organizada para pensar as políticas públicas de real importância para seu bairro, para sua cidade e para seu país. Na ocasião, o vereador lembrou os avanços dos governos Lula e Dilma na melhoria de vida das pessoas da periferia, que com programas como Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, Luz para todos e os investimentos em estrutura, puderam melhorar de vida em relação a outros tempos, sem esquecer, porém, de que há muito o que fazer e lutar, tanto para não perder o que  já foi conquistado quanto para superar problemas estruturantes, a exemplo dos muitos citados pela plenária presente, como falta de saneamento básico, de postos de saúde, de vias asfaltadas para passagem de ônibus, de escolas e de espaços de lazer e cultura para a juventude.
Eleito com o slogan Por um Mandato Coletivo, o vereador iniciou com este evento as ações práticas de escuta e participação popular que tem como objetivo nortear as suas decisões, sugestões e projetos feitos em plenário, propondo assim um Mandato Coletivo, onde o vereador não responde por si, mas por uma coletividade organizada que apresenta suas pautas, suas prioridades e aponta os caminhos para um projeto de cidade. Na sua fala, o Prof. Gilmar elucidou que todo mandato é do povo, “o povo é que é o dono do mandato, eu sou apenas um servidor”, diz, afirmando ao longo do encontro o desejo de garantir essa coletividade intrínseca a qualquer mandato em uma metodologia sistemática e continuada, onde realizará diversas outras plenárias em seu mandato, assim como outras ações que favoreçam a participação direta da população e o empoderamento das comunidades e dos diversos povos que as formaram e ajudaram a construir essa cidade.
Além de um canal de escuta potente, porque coloca o vereador à disposição da comunidade em um encontro pessoal sob um formato aberto  à toda população  – pois a ideia é que as plenárias aconteçam nas ruas, nas praças, em frente às casas ou nos espaços em comum das comunidades – o Mandato Coletivo quer com isso, também, aproximar ainda mais o povo dos processos políticos, para aprofundar informações e ampliar os recursos de análise e crítica sobre, por exemplo, qual o verdadeiro papel dos vereadores, no que difere no papel do prefeito, quais os tramites e os rituais que devem ser respeitados e quais os meios da comunidade cobrar e exigir as ações efetivas de cada um desses atores políticos.
Este é só início e o balanço que o Mandato Coletivo faz é muito positivo. As ações serão encaminhadas agora no sentido de dar continuidade e aprofundamento a esse diálogo aberto pelo evento. O vereador prof. Gilmar Santos entende o projeto do Mandato Coletivo, desde sua concepção como uma ferramenta pedagógica e de mobilização e necessita de que as pessoas que acreditam nessa ideia se envolvam, participem, colaborem para que se possa superar a política vinculada aos vícios do personalismo e possamos construir uma nova, horizontal e agregadora dos anseios da população e de sua rica diversidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações