Paulo Câmara já é considerado o pior governador da história


No comando da gestão estadual há dois anos e três meses, o governador Paulo Câmara (PSB) terá dificuldades para conquistar o apoio popular e disputar a reeleição em 2018. Ao menos é o que sugere uma avaliação da atuação dele à frente do Palácio do Campo das Princesas, divulgada neste sábado (1º) pelo Instituto de Pesquisas UNINASSAU. De acordo com o levantamento, encomendado pelo LeiaJá em parceria com o Jornal do Commercio, 74% dos entrevistados desaprovam o governo do pessebista. O percentual de aprovação é de 16%.
O raio-x foi feito pelo Instituto a partir de 2.014 entrevistas realizadas em todas as regiões do estado. Os maiores índices de reprovação estão no Recife e no São Francisco. Já a aprovação é maiúscula nas outras áreas do Sertão. A forma como Paulo Câmara administra o Estado também foi aferida. Para 37% dos que responderam à amostra, a administração do afilhado político de Eduardo Campos é péssima; 27% disseram que era ruim e 23% apontaram como regular.
Apenas 1% dos pernambucanos ouvidos na pesquisa consideram a administração ótima e 7% a classificam como boa. Desses, a maior parcela se mantém entre os sertanejos. Enquanto os que adjetivaram negativamente são preponderantes na capital, no São Francisco e no Agreste.
Os dados, segundo o coordenador do Instituto UNINASSAU e cientista político Adriano Oliveira, refletem os diversos problemas apresentados pelos eleitores como de responsabilidade de Paulo Câmara e sem solução, como segurança pública, desemprego e saúde.
“Os eleitores julgam os gestores considerando diversos fatores. Isto significa que um governador é aprovado [ou reprovado] em virtude de algum ou vários aspectos. As demandas dos eleitores e a responsabilização que estes dão ao governador explicam a sua alta reprovação”, argumentou o estudioso. Para ele, o sentimento negativo pode dificultar a reeleição do pessebista. “Não há um sentimento de otimismo e você entrar numa eleição e disputar com esse sentimento de pessimismo é ruim para qualquer candidato à reeleição”, acrescentou.
Pior governador da história de Pernambuco
Além do peso da avaliação negativa e do baixo índice de intenções de votos caso a eleição fosse hoje, de acordo com o Instituto de Pesquisas UNINASSAU também pesa sobre Paulo Câmara o título de “pior governador da história de Pernambuco para 42,3% dos entrevistados. Em segundo lugar no ranking, com 5,3%, aparece Jarbas Vasconcelos (PMDB), atual deputado federal que governou o estado por dois mandatos (1999 a 2006).
O ex-governador Eduardo Campos, falecido em 2014, aparece como o pior gestor para 1,6% da amostragem e o ex-governador Roberto Magalhães (DEM) é citado por 1%. Para 10,5% dos pernambucanos nenhum ex-gestor pode ser considerado como o pior. Já 35,9% optaram por não responder.
A classificação positiva, entretanto, tem Campos na liderança, sendo citado como o melhor governador da história por 35,9%. Apesar de ter sido o padrinho político de Câmara, a avaliação do líder socialista não reflete na do afilhado. “Os eleitores comparam o atual governador com Eduardo Campos e o que transparece é que eles sentem falta deste último”, ponderou Adriano Oliveira.
O Instituto UNINASSAU foi a campo nos dia 23 e 24 de março. Foram ouvidas pessoas a partir de 16 anos de todas as regiões do estado. O nível de confiança do levantamento é de 95% e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. (Lela Já)

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..