Ambulantes questionam taxa cobrada no Pátio da Festa e prefeito justifica a cobrança



Impasse entre ambulantes e o poder público foi resolvido, garante o prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB). Os ambulantes questionam a cobrança da taxa de R$ 450 para comercialização no local e o prefeito argumenta que os comerciantes terão uma estrutura padronizada, com iluminação, segurança e energia para utilização de um freezer para a venda dos produtos. “Ano passado foi cobrada uma taxa de R$35 por noite sem estrutura alguma, este ano estamos cobrando uma taxa de R$ 50 com uma estrutura nunca oferecida antes”, explicou o prefeito.
De acordo com o prefeito, o impasse estava na oferta de uma ligação de energia para o uso dos refrigeradores. “Resolvemos esse impasse e vamos disponibilizar o uso de um freezer por ambulante, se alguém descumprir esse acordo vai comprometer a festa inteira, porque a estrutura montada pela Celpe não dará suporte a uma carga maior do que o previsto”.
Ainda de acordo com Miguel, a prefeitura vai custear um gerador de energia para suprir esta demanda dos ambulantes. “Só é permitido um freezer por ambulante. Se alguém quiser dar um de esperto e montar um gato (ligação clandestina) não vai prejudicar a prefeitura, vai prejudicar a festa, esperamos que eles tenham razoabilidade, sensibilidade e senso coletivo para obedecer o acordo feito com a associação de ambulantes de Petrolina”.  
A ambulante Maria Zilma de Brito, questionou a taxa cobrada pelo poder público. “Não tenho dinheiro para pagar esse valor”. 

Grande Rio Fm por Mônia Ramos

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..