Forró da Espora e 76ª Missa do Vaqueiro movimentam final de semana em Petrolina



Começa logo mais a partir das 19h, o tradicional Forró da Espora, que volta a ser realizado no Estádio Paulo de Souza Coelho, em Petrolina, e que termina com a 76ª Missa do Vaqueiro, na manhã deste domingo (25). Durante este final de semana, a cidade ficará movimentada pela celebração religiosa e profana onde serão reunidos mais de mil vaqueiros, de várias idades, de Pernambuco e da Bahia.
O profano é levado a sério no Forró da Espora, que deve ir até as 3h da madrugada, ao som do legítimo pé-de-serra com apresentações dos trios Visão Musical, Novo Esquema e Sérgio do Forró. “O local é dividido em três salões: ‘Quem me quer’ para solteiros; ‘Já tem dono para casados’ e ‘Rabo da gata’, que é o geral, é a sobra”, explica Sivuca, acrescentando que a organização dos espaços foi uma estratégia para evitar brigas entre homens, que se ‘engraçavam’ com mulheres comprometidas.
Após a festa, os vaqueiros dormem no estádio e arredores, e amanhã após café da manhã, por volta das 9h, seguem em procissão montados nos cavalos até as margens do Rio São Francisco, na Orla de Petrolina, onde é celebrada missa pelo Padre José Guimarães, também vaqueiro. A celebração faz uma homenagem póstuma à todos vaqueiros que já partiram.
A homilia conta com os aboiadores Josélio e Edivaldo, Coral Aboio Serrita e Zezinho do Violão. No momento do ofertório, é feita a benção dos arreios (instrumentos) dos vaqueiros: gibão, chocalho, guarda peito, perneira, chapéu, peitoral, luvas, botas, búzio (feito do chifre do boi), corda de laçar e cavalo. Ao final, por volta do meio-dia, é servido almoço para os vaqueiros que voltam a festejar com show da dupla Sirano e Sirino.
Durante a celebração será feita a entrega de medalha de Honra ao Mérito Carlos Augusto aos vaqueiros mais antigos em atividade. Este ano, recebem a premiação: José Coelho de Amorim (Cazuza), José Joaquim do Bom Jardim, Ivanildo Soares Amorim, Pedro Juvenal e Raimundo Conceição Ribeiro de Souza. A premiação foi criada no ano passado pela secretaria de Cultura Maria Elena de Alencar, quando exercia a legislatura municipal.
De acordo com um dos organizadores do evento, Sivuca estima que cerca de 1.100 vaqueiros, entre crianças, jovens e idosos, devem participar da cavalgada e missa. São vaqueiros urbanos e de áreas rurais de Petrolina e de outras cidades como Afrânio, Casa Nova, Lagoa Grande e Dormentes. Um boi domesticado também participa do desfile e um caminhão leva os vaqueiros mais velhos que não podem mais cavalgar, são os chamados “Generais do Gibão”. Duas Frevucas garantem o som no trajeto.

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..