Merendeiras das escolas estaduais, estão trabalhando sem receber e sem contrato



As merendeiras das escolas estaduais de Pernambuco, estão na bronca com a  Gerência Regional de Educação (GRE),
Após a empresa Líber Terceirização, responsável pelos serviços gerais aplicados nas escolas estaduais, demitiu todas as merendeiras, em maio deste ano, as trabalhadoras do município de Petrolina continuaram seus ofícios sem contrato de trabalho firmado pelo Estado ou outra empresa.
Segundo algumas merendeiras, já se passaram quase dois meses e as trabalhadoras ainda estão sem receber os salários prometidos. “Fomos demitidas da Líber e tivemos a garantia, por parte da direção da GRE, de ficarmos trabalhando três meses e o Estado fazer nosso pagamento. Porém, estamos trabalhando de graça há quase dois meses, sem contrato e sem notícias por parte deles”, afirmou uma merendeira que não quis se identificar por medo de represálias.

Um grupo de merendeiras dos municípios de Poção, Sanharó, Pesqueira, Alagoinha, Arcoverde e Petrolina, procurou nosso blog para fazer uma denuncia, confira a denuncia na integra:  
  
"Venho aqui pedir um apelo ao meios de comunicação, para que tornem público o descaso que esta acontecendo com as merendeiras das escolas estaduais de pernambuco, que foram demitidas da empresa terceirizada LIBER. Ao serem demitidas tiveram uma proposta da GRE, para que mantivessem suas rotinas de serviços com a garantia de ter seus empregos mantidos quando uma nova empresa assumisse. Porém a mais de dois meses a mesmas trabalham sem receber salários e não tiveram nem ao menos uma explicação ou previsão de quando serão pago os salários.
E quando tentam entrar em contato com a GRE a resposta que tem é "se vocês não mantiverem os serviços mesmo sem receber perderam os empregos quando a próxima empresa assumir" Finalizou.

Com a palavra a Gerência Regional de Educação (GRE) 

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..