Candidata a primeira habilitação denuncia suposto problema mecânico em moto


O sonho de tirar a primeira habilitação de motociclista deu lugar a uma grande frustração para a técnica de enfermagem Erivane Pereira de Almeida. Na última terça (8) ela foi uma das dezenas de pessoas que compareceram ao pátio da 8ª Ciretran/Detran-PE, em Petrolina, para o exame prático. Mas não conseguiu seu objetivo. E pior: Erivane denuncia um suposto problema mecânico na moto, disponibilizada pelo órgão estadual.
Segundo contou a este Blog, a técnica em enfermagem informou que outros candidatos antes dela – também reprovados no exame – alertaram para o problema. “Todos diziam que a moto estava travando”, informou.
Das cerca de 100 pessoas que fizeram o exame naquele dia, Erivane ficou no último grupo, já no final da tarde. E no momento em que começava a realizar a manobra, ela deixou a moto cair. Erivane lembra que o veículo parou de funcionar por alguns minutos, e como havia ainda muita gente para o exame, foi disponibilizada uma outra moto. “Quem teve a sorte de pegar essa moto, conseguiu passar. E uma menina que estava nessa moto, quando a outra foi ajeitada, foi obrigada a usar a moto que estávamos e também perdeu o exame”, criticou.
A técnica conseguiu flagrar, posteriormente, essa mesma moto numa oficina, e colocou em dúvida a qualidade dos veículos disponibilizados para o exame. “Por que não usarmos pelo menos os da autoescola? Não reclamo em ser reprovada por erros meus, mas não dessa maneira”, lamentou.
Coordenador
Procurado pela reportagem, o atual coordenador da 8ª Ciretran, Pedro Neto, contestou as críticas. Primeiro, ele informou que em nenhum momento foi procurado por algum dos candidatos reprovados no exame de habilitação, referente ao suposto problema.
Quanto à moto vista na oficina pela técnica de enfermagem, Pedro Neto disse que “foi bom” ela ter registrado o fato, porque a manutenção constante dos veículos é uma determinação da 8ª Ciretran. Ele explicou também que os carros e motos colocados pelo Detran-PE para o teste de habilitação dos futuros condutores é um padrão em todo o Estado e, portanto, não poderia mudar em Petrolina.
Pedro Neto informou ainda que no dia 8 – data em que a técnica de enfermagem fez o exame – o índice de aprovação dos candidatos foi de 70%. O coordenador também conferiu in loco o estado das motos e garantiu que todas estão funcionando perfeitamente. “O nervosismo é um fator que acaba prejudicando muitos candidatos”, finalizou.
Blog do Carlos Britto 

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

1 De sua opinião, participe!:

De sua opinião, participe!
11 de agosto de 2017 23:40 delete

não sabe pilotar e depois coloca culpa na moto kkkkkkkkkk

Reply
avatar

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..