Cansados de esperar pela prefeitura, moradores do Jardim Guararapes resolvem problemas do bairro: 'estamos entregue às baratas'

Cansados do descaso do poder público municipal, os moradores do bairro Guararapes estão colocando a mão na massa para resolver os problemas na comunidade. Eles construíram o único quebra-molas que tem na avenida principal, completaram a rede de esgoto e trocaram as lâmpadas queimadas dos postes de iluminação. A equipe de reportagem do Nossa Voz esteve no local para conversar com os moradores. Eles afirmam que são prejudicados e que por isso decidiram “pôr a mão na massa”.
No local, também tem um esgoto que está causando desconforto para os moradores, além de atrapalhar no comércio por causa do mal cheiro e proliferação de insetos. O comerciante Élcio Alves, que tem uma lanchonete no bairro, disse que tem perdido clientes e que a comunidade está abandonada pelo poder público. “Ligamos para os órgãos competentes e nunca tivemos retorno. Então fizemos aqui uma rede paralela para tirar o esgoto do nosso comércio. Fizemos também um quebra-molas que pedimos [porque] não tivemos retorno. Estamos entregue às baratas. Tem ainda a iluminação, pagamos tudo desde a troca das lâmpadas. A rede coletora também foi por nossa conta. Precisamos de providências urgentes”, desabafou o morador que disse que já chegou a gastar 500 reais em uma única obra realizada.
O bairro Jardim Guararapes tem 14 anos, mas apesar de “novo”, tem problemas corriqueiros de locais mais antigos. Um canal aberto que começa no São Gonçalo, passa pelo Rio Corrente e chega até o Jardim Guararapes é uma dor de cabeça para os moradores que temem pela saúde e segurança de todos, principalmente das crianças. O comunitário Evilázio dos Santos já perdeu a conta de quantas vezes recorreu à Prefeitura e Compesa. “Colocamos alguns oficios e esperemos respostas. A rede de esgoto, a Compesa não concluiu. A gente tá aguardando, por isso tá entupindo esses esgotos aqui direto”, disse.
Outra exigência urgente da comunidade é a colocada de mais lombadas, pois vários acidentes já ocorreram na avenida principal do bairro. “Aqui é uma avenida longa e precisamos de mais segurança”, explicou Evilázio. A mesma esperança não é compartilhada pelo comerciante Élcio. “Perdemos a crença na política. A gente não vai ficar esperando que resolvam porque a gente que fica no prejuízo. Pagamos nossos impostos e o que nos cobram, fazemos. Mas o que é para ser feito o poder público não faz. É uma coisa até simples de se resolver, mas ninguém toma providência”, desabafou.
No momento da reportagem que foi ao ar na manhã desta quarta-feira, dia 27, um carro da Compesa chegou ao local para reparação. “Quando há uma denúncia, rapidamente eles chegam e vem resolver. Porque eles não resolvem quando a gente pede? É uma brincadeira um negócio desse. A população precisa ser respeitada”, questionou Élcio Alves.
Gabriela Canário Grande Rio FM

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..