Fernando Bezerra chama Jarbas Vasconcelos de incoerente e cínico e alfineta Paulo Câmara


Após ser duramente criticado, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) prometeu que responderia ao correligionário deputado federal Jarbas Vasconcelos nesta quarta-feira (13) na tribuna do Senado, mesma ferramenta utilizada por ele no dia anterior, mas em Casas diferentes. Em um discurso de 11 minutos, em tom ácido, Bezerra Coelho criticou o correligionário, atacou o governador Paulo Câmara (PSB) e enalteceu o presidente Michel Temer (PMDB), reforçando o aceno a direção nacional peemedebista, que estava reunida naquele momento para resolver, entre outras coisas, a situação de Pernambuco.
O ex-socialista começou o discurso rechaçando as críticas de Jarbas, que estariam tentando “confundir com meias verdade, numa tentativa vã, de denegrir” a trajetória política dele. Reiterou que foi convidado a retornar às hostes peemedebistas pela direção nacional do partido, após 19 anos, e que seria oposição ao atual governo estadual, do qual o PMDB é o principal aliado, com o vice Raul Henry, presidente estadual da sigla, e outras secretarias.
Após dizer que jamais traiu seus compromissos ou fez política agredindo quem quer que fosse, o senador chamou Jarbas de verborrágico e cínico. “Fácil falar de barganhas políticas a nível federal com o objetivo de atingir as pessoas. Mas não reconhecer as mesmas barganhas a nível estadual é uma tremenda incoerência ou cinismo. Será que são as secretarias e órgãos estaduais que explicam a flexibilidade do deputado Jarbas Vasconcelos em aceitar alianças políticas que até as eleições passadas condenava?”, fustigou FBC. “Não quero julgar, o deputado tem direito de rever suas posições, mas a boa educação política exige que se respeite o posicionamento dos outros.”
“Erros administrativos e, sobretudo, políticos, vêm se acumulando em Pernambuco. Não tenho receio dos embates que haveremos de enfrentar. Fiz a opção de dar consequência ao voto a favor do impeachment, apoiando verdadeiramente o governo de transição do presidente Michel Temer. Não tenho duas caras ou posição dúbia”, declarou o ex-ministro do governo Dilma Rousseff.
Bezerra Coelho reiterou que levará o PMDB a oposição. “Estou pronto para uma nova caminhada. Não será fácil. Não me faltará animo e disposição. Acredito que seremos capazes de construir uma grande frente política. Acredito que o PMDB estará pronto para liderar esse novo projeto. Acredito nos pernambucanos e estou certo que haveremos de construir um novo tempo”, avisou. (Blog da Diário).

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..