Recém-implantado em Petrolina, serviço da Uber está na mira da prefeitura


Implantado em Petrolina há menos de uma semana, o Uber (aplicativo de transporte particular) ainda deve render polêmica. O motivo é que o serviço não estaria devidamente regularizado e, portanto, deve sofrer fiscalização por parte da Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA).
Ex-presidente da Associação dos Taxistas e atualmente ocupando cargo de diretor da entidade, Jailson Santos explicou ao Blog que a intenção da categoria não é criar conflitos com os profissionais da Uber. “Queremos a segurança da população e um transporte de qualidade”, ponderou.
Segundo Jailson, atualmente a frota dos táxis que circulam em Petrolina é formada por 97% dos veículos zero quilômetro. Além disso – como já conversou com o diretor-presidente da AMMPLA, Geraldo Miranda, e o prefeito Miguel Coelho – ele lembra que os taxistas são regulamentados e têm de andar em dia com os tributos cobrados pelo município. Se a Uber também se enquadrar nesses critérios, ele acredita que não haverá problemas. “Não vamos aceitar que esse serviço seja clandestino. Não é justo que nós, que pagamos impostos, tenhamos de sofrer uma concorrência desleal”, pontuou.
PROPAGANDA DO BLOG
Jailson acredita que, em relação a Petrolina, o serviço não será tão vantajoso, sobretudo pelo combustível – um dos mais caros do país. Há também o fato de o cliente, em relação ao táxi, conhecer o profissional, ao contrário da Uber. Além disso, ele avalia que o petrolinense ainda não tem o hábito de acessar esse tipo de serviço por aplicativos móveis. Mas o diretor da associação está pensando muito mais em sua categoria. A ideia, segundo Jailson, é promover melhorias para os taxistas, a fim de garantir e atrair ainda mais clientes.
Estamos pensando em fazer promoções, baixando a tarifa. Estamos também negociando com a prefeitura um terreno para a construção de uma oficina, que vai baratear os custos com a manutenção dos veículos. Já temos táxis que oferecem descontos e balinhas aos nossos clientes. São coisas que a gente vai amadurecendo”, frisou Jailson. Existe um projeto tramitando no Senado que atrela o funcionamento de aplicativos como o Uber à permissão do Estado, mas por enquanto tudo continua como está.
Fiscalização
O gestor da AMPPLA, Geraldo Miranda, reforça a preocupação do representante dos taxistas. Apesar de deixar claro que a prefeitura não é contra o serviço, Geraldo ressaltou ao Blog que é necessário aparar algumas arestas em relação ao Uber em Petrolina.
Ele justifica que o serviço começou a operar de forma clandestina na cidade e está passível de ser fiscalizado. Geraldo afirmou que se um veículo do Uber foi abordado por equipes da AMMPLA, será imediatamente apreendido. E, caso haja algum cliente no carro, ficará no prejuízo. “Não fomos procurados por ninguém. Não sabemos quem é o responsável pelo serviço e não temos nenhuma informação sobre a qualificação das pessoas que trabalham com Uber”, adiantou Geraldo, acrescentando que o foco da prefeitura é com a segurança dos petrolinenses.
Segundo Geraldo, na próxima semana a AMMPLA deverá iniciar uma campanha com o objetivo de esclarecer sobre o Uber e chamar para um diálogo o responsável (ou responsáveis) pelo serviço.
Critérios
Para quem tem interesse em trabalhar com Uber, é necessário obedecer a alguns critérios. Um deles é possuir um veículo no mínimo do ano de 2008. Também é necessário fazer um cadastro e enviar uma foto da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), a qual será devidamente verificada e precisa constar nela que o interessado exerce atividade remunerada. Caso seja aprovado, o condutor deverá enviar uma foto do CRLV do veículo e ficar online. Mais detalhes podem ser conferidos no site do Uber.
Blog do Carlos Britto

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

1 De sua opinião, participe!:

De sua opinião, participe!
10 de setembro de 2017 13:40 delete

Sair em defesa de sua antiga categoria é mais que normal, a bandeira cobrada em Petrolina chega a ser uma das mais caras do país, o serviço prestado pela maioria dos taxistas é de péssima qualidade, falar em qualificação desses profissionais chega ser uma piada. Conheço vários donos de táxis (falei no plural mesmo), e pelo que saiba seus motoristas não tiveram nenhum treinamento específico, basta pagar a franquia diária é o que importa. Em relação a Uber, concordo que se pague os impostos devidos, mas que não aja uma caçada as bruxas. O cidadão está cansado de pagar esses impostos abusivos.

Reply
avatar

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..