Secretaria de educação diz ter liberado salário e sementeiras desmentem


O salário das funcionárias do programa Nova Semente está atrasado desde o início do mês. A sementeira Fernanda Castro Oliveira disse estar enfrentando problemas por conta da falta de pagamento. “Nós somos discriminadas [porque] todo mundo da educação recebeu. Era para ter saído dia 2 e hoje já são 10. O salário já é uma miséria e ainda atrasa”. Durante o programa Nossa Voz desta terça-feira, dia 10, ao menos três pessoas entraram em contato com a redação confirmando o atraso.
Em resposta às denúncias, a Gestora do Programa Nova Semente, Poliana de Castro, disse que tudo não passa de “um mal entendido”. “Toda nossa equipe se reuniu para viabilizar a liberação do pagamento o mais rápido possível. No dia sete todos os pagamentos estavam devidamente realizados”, explicou. Ela enfatiza que as sementeiras que não receberam o pagamento devem procurar o Petrape e/ou a Caixa Econômica Federal para averiguar o fato. No final do programa, apenas uma sementeira confirmou o pagamento do salário.
No mês de setembro, todas as sementeiras receberam o comunicado de aviso prévio. Fernanda Castro confirmou que, além do atraso do salário, as funcionárias serão desligadas em novembro deste ano. 

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..