Vereador promete prender Pabllo Vittar caso visite cidade no PR


Pabllo Vittar está confirmada para se apresentar na München Fest, em Ponta Grossa (Paraná) em dezembro. A dois meses da apresentação da drag queen, o vereador Ezequiel Bueno (PRB-PR), que também é pastor, fez um discurso enfatizando que poderá prender a cantora caso ela saia da festa e visite instituições de ensino. A hipótese do político foi baseada num boato que correu a internet de que o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e Pabllo Vittar fariam visitas a escolas brasileiras para ensinar crianças sobre diversidade sexual.
“Eu queria lamentar trazer essa pessoa numa cidade família. A qual brigamos no plano municipal de Educação para tirar a ideologia de gênero. Quem quiser assistir pode ir, mas só lá. Porque se inventar de ir para rua e para as escolas eu vou prender, mesmo que depois seja preso por abuso de autoridade”, disse Ezequiel Bueno, apesar de Wyllys ter desmentido o boato em setembro.
Além de Pabllo Vittar, a München Fest terá apresentações de Anitta, Felipe Araújo, Thaeme & Thiago, Henrique & Juliano e Capital Inicial entre os dias 5 e 10 de dezembro. No discurso na Câmara de sua cidade, ele continuou:
“Uma cidade em que brigamos aqui no plano de educação para tirar a ideologia de gênero das escolas. Numa cidade onde somos conservadores, somos pais, mães e trabalhadores. Quem quiser assistir, se não for com o meu dinheiro, tudo bem. Porque se inventarem de sair pra rua e ir nas escolas, eu vou prender. Vou prender, nem que depois eu seja preso por abuso de autoridade. (…) Não vamos deixar isso acontecer, de maneira nenhuma vamos deixar uma pessoa dessa ir à escola e ensinar sobre diversidade sexual para as crianças. ‘Mas pastor, é só um show’. Eu não sei. Abriu a porta, entrou? Aí é complicado. (…) Pelo amor de Deus, gente, o que é isso na nossa cidade?”.
Procurada, a assessoria de Pabllo Vittar informou que o artista não se pronunciará sobre o assunto.
Confira o vídeo na íntegra:
Em agosto, Pabllo Vittar já havia sofrido ataques na internet. Na ocasião, hackers invadiram os perfis da artista em redes sociais e compartilharam fotos de Jair Bolsonaro, citando as ofensas a Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros. Após a polêmica, a artista se manifestou via redes sociais:
“LGBTfobia existe, sim!”, escreveu a cantora, que recebei o apoio dos fãs e das marcas de tecnologia para reabilitar seus perfis na internet: “Obrigada pelo apoio vittarlovers, vocês são demais! Dá para sentir o amor e a energia boa que vocês me mandam. Todos com Pabllo Vittar”.
Fonte: Extra

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..