Família da menina Beatriz recebe bênção do Papa e caso tem nova delegada


Quatro meses após enviar uma carta ao Papa Francisco, a família da menina Beatriz Angélica Mota recebeu uma resposta do maior líder da Igreja Católica. No texto, os pais da garota, que foi assassinada durante uma festa dentro do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, pediu ajuda para elucidação do crime que aconteceu em dezembro de 2015, mas até agora a polícia não conseguiu desvendar o homicídio, que está prestes a completar dois anos.
Na resposta, assinada pelo monsenhor Paolo Borgia, Lúcia Mota, mãe de Beatriz, foi informada que o papa recebeu a carta e que estava rezando pelas intenções por ela recomendadas. O papa pediu à mãe da garota perseverança na oração e “confiar em Deus providente e misericordioso”. No final, manda para os pais de Beatriz e todas as pessoas que convivem com família “uma particular Benção Apostólica”.
Nova delegada
Depois de três delegados – Sarah Machado, Marceone Ferreira e Gleide Ângelo -, as investigações agora serão comandadas pela delegada Pollyanna Nery. A informação foi divulgada hoje (27) pelo secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua, que está em Petrolina para inauguração de uma unidade do Centro de Assistência Social (CAS) da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE).
A mudança aconteceu duas semanas após os pais de Beatriz realizarem mais uma manifestação no Recife. A família criticou o Governo de Pernambuco por conta da delegada Gleide Ângelo – então responsável pelas investigações – não ser de Petrolina e também não ficar na cidade. A delegada Pollyanna Nery é Gestora de Controle Operacional da Diretoria do Interior 2 (Dinter-2), em Petrolina, e já assumiu o comando do caso. (foto/arquivo Blog) 

Compartilhe em seu

Postagens relacionadas

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..