Compesa se mantém por liminar, mas prefeitura multa e pode encerrar contrato, diz, Miguel Coelho - Blog Petrolina em Destaque

5 de jan de 2018

Compesa se mantém por liminar, mas prefeitura multa e pode encerrar contrato, diz, Miguel Coelho


Com uma população insatisfeita e relatos de problemas relacionados ao abastecimento de água e coleta de esgoto em Petrolina, o Nossa Voz entrevistou com exclusividade o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB) na tarde desta quinta-feira (05) para saber como está a relação com a Companhia Pernambucana de Saneamento e o que a gestão municipal tem feito diante dos desserviços registrados pelos consumidores petrolinense.
De acordo com o gestor, Compesa mantém a prestação de serviço na cidade através de uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco. Havia uma mesa de negociação montada em torno da renovação dessa concessão, mas desde setembro não há avanços dentro dos termos exigidos para que a companhia mantenha a atuação em Petrolina. 
“A Prefeitura está sempre vigilante. Eu sempre defendi que a Prefeitura e a Compesa pudessem dialogar e não só conversar, mas fazer o trabalho em conjunto. Conseguimos fazer nisso até meados de agosto, setembro. Infelizmente, nesse ínterim a gente vinha negociando uma nova concessão, porque estava muito claro que do jeito que está a população não está sendo atendida nem com o mínimo que ela merece. Só que ocorreu é que fizemos uma proposta de renovação da concessão com a Compesa, nos termos e moldes atuais onde a Prefeitura seria remunerada, as pessoas teriam a sua água e esgoto entregues e já faz mais de três meses a não tivemos nenhuma resposta, nem que sim e nem que não, por parte da diretoria da Compesa”, explicou. 
Sendo assim, o prefeito revelou que a gestão já busca uma nova forma de melhorar a prestação do serviço a partir de uma possível finalização do contrato com a Compesa. “Está difícil de continuar, estamos procurando outros caminhos que possam ser, sejam a municipalização novamente, seja que a gente possa entregar a algum grupo privado, para alguma outra empresa que possa fazer o investimento necessário, mas principalmente um atendimento com qualidade para as pessoas e o que eu posso dizer a todos é que a gente tem notificado e multado a Compesa por todos esses transtornos que tem gerado para os nossos habitantes e que estamos trabalhando de forma célere e muito rápida para ter um resultado ainda este ano para a gente ter uma nova solução para que isso vire página do passado”. 
Ainda durante a entrevista ao Nossa Voz, Miguel Coelho reiterou que a companhia só se mantém a frente dos serviços de abastecimento de água e esgoto em Petrolina porque está sustentada numa limitar concedida pelo TJPE. “Toda a concessão está suspensa, até porque vocês acompanharam essa briga judicial na época da gestão de Fernando e depois na gestão do ex-prefeito que também comprou essa briga que chegou no STF e a Compesa se segura com base numa mera liminar do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Então a gente está evitando ter que judicializar ou continuar recorrendo nos tribunais. Acho que quando duas pessoas sentam para conversar a cordialidade e o diálogo conseguem resolver qualquer problema, mas como eu disse, desde setembro só eu estou falando e não estou tendo  nenhum retorno da Compesa. Então não vou ficar mais sozinho sentado em uma mesa. Estou buscando novos parceiros, novas pessoas que possam fazer uma Petrolina melhor na entrega e no abastecimento de água, mas principalmente, onde é o maior calo de Petrolina que é o saneamento e a coleta de esgoto”, reforçou. 

Um comentário:

  1. Enquanto a briga continua entre os grandes (Prefeitura e Compesa) a população de algumas comunidades ficam até 20 dias sem água. Olha o absurdo.

    ResponderExcluir

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..