Jarbas e Humberto não se entendem - Blog Petrolina em Destaque

20 de ago de 2018

Jarbas e Humberto não se entendem



Na política brasileira a expressão “casamento de jacaré com cobra d’água” é comumente utilizada para descrever a aliança de grupos antagônicos. Nesta eleição, em Pernambuco, este exemplo é claramente identificado na “união” ocorrida entre Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa na disputa pelo Senado na chapa encabeçada pelo governador Paulo Câmara (PSB).

Apesar de já ter externado por diversas vezes que não terá dificuldade alguma em pedir o voto casado para Humberto Costa, o candidato a senador Jarbas Vasconcelos não tem conseguido esconder o incômodo de tão árdua tarefa, uma vez que passou boa parte da vida tecendo duras críticas ao presidente Lula, ao PT e até mesmo ao próprio Humberto Costa. 

Embora se esforcem pra mostrar unidade e sintonia, Jarbas e Humberto não conseguem imprimir a imagem de que são companheiros de chapa e isso tem sido demasiadamente danoso ao palanque da Frente Popular. Ao invés de somarem, os candidatos a senador da chapa encabeçada por Paulo Câmara têm contribuído para a fragmentação do palanque, prova disso são os constantes anúncios feitos por prefeitos pertencentes a partidos da base em relação ao apoio aos candidatos a senadores da Oposição.

Em uma eleição em que o que está em jogo são duas vagas para o Senado, é fundamental a harmonia entre os postulantes do mesmo grupo político, uma vez que o voto casado garante uma maior competitividade na disputa. Diferente do que acontece com Mendonça Filho e Bruno Araújo, que estão trabalhando em sintonia na conquista do voto, Jarbas e Humberto não têm mostrado nenhuma reciprocidade senão a de fazer pouco caso do companheiro de chapa.

Persona non grata – Ausência de Humberto Costa nos materiais de propaganda dos candidatos a deputado federal e estadual do PT evidencia muito bem o troco que a militância petista está preparando para ele por conta de sua participação no golpe contra a candidatura de Marília Arraes ao Governo do Estado.

Quem está errado ? – Enquanto o governador Paulo Camara têm questionado o trabalho que foi desenvolvido por Mendonça Filho e Bruno Araújo quando estes estiveram à frente de Ministérios da Educação e Cidades, respectivamente; prefeitos pertencentes a partidos da Frente Popular continuam declarando apoio aos candidatos a senadores da Oposição alegando que ninguém foi tão generoso com os municípios quanto eles.

Mais apoio – Em Belo Jardim, no Agreste, o grupo do ex-prefeito Cintra Galvão fechou apoio com o candidato a deputado estadual Romero Sales Filho (PTB). A dobradinha no município será com o deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos). Romero Sales Filho tem conseguido expandir de forma significativa a sua base de apoio nas últimas semanas. A chance dele emplacar um mandato na ALEPE é muito grande. 

Prestígio – O ex-prefeito de Jaqueira, Amadeu Henrique, e sua esposa Ridete, deram uma demonstração de força política ao recepcionar os deputados André de Paula (federal) e Simone Santana (estadual) com uma grande multidão no último sábado (18). Embora apoie deputados ligados à Frente Popular, Amadeu está fechado com Bruno Araújo e Mendonça para o Senado e Armando Monteiro para governador. Não será novidade alguma Amadeu desbancar nas urnas os candidatos apoiados pelo prefeito Marivaldo Andrade, seu adversário.

Tropa – Eleito em 2014 com quase 116 mil votos, o deputado federal Sebastião Oliveira (PR) caminha com grandes chances de superar a marca dos 150 mil votos. Para isto, contará com um verdadeiro exército composto por mais de 20 prefeitos, além do apoio de lideranças em um grande número de municípios do interior. O presidente estadual do PR chegará em 2019 ainda mais fortalecido.

Mais uma baixa – A decisão do prefeito de Ribeirão, Marcello Maranhão, de apoiar para deputado federal Fernando Monteiro representa uma grande baixa para Felipe Carreira, deputado que foi apoiado por Marcello na eleição passada e obteve mais de 5.500 votos no município. Não bastasse o prejuízo eleitoral que está tendo no Recife com o avanço da candidatura de João Campos em suas bases, agora Carreiras terá que lhe dar com perda de mais um importante apoio.

Insatisfação 1 – O deputado estadual Romário Dias tem sido um poço de mágoas com o Palácio. O principal motivo deste descontentamento diz respeito ao não cumprimento da promessa do repasse de bases para ajudar na sua reeleição.

Insatisfação 2 – A chiadeira com o Palácio não tem se restringido apenas a Romário Dias. Alguns deputados estaduais que concorrerão pelo chapão andam questionando o repasse de parte do espólio eleitoral de Nilton Mota para Lucas Ramos e Aglailson Victor, candidatos que embora tenham uma reeleição confortável acabaram herdando as bases de Surubim e Casinhas, respectivamente.

Reforço – A decisão de Tony Gel retirar a candidatura do filho Toninho Rodrigues para federal e anunciar apoio a Raul Henry (MDB) foi um reforço em tanto para o projeto de eleição do emedebista para a Câmara Federal. Embora não tenha a menor chance de alcançar os mais 29 mil votos que Jarbas obteve em 2014 em dobradinha com Tony Gel em Caruaru, Raul tem chances de garantir na capital do forró uma boa votação.

Frente a Frente – Os candidatos ao Governo do Estado Paulo Câmara (PSB), Armando Monteiro (PTB), Maurício Rands (PROS) e Dani Portella (PSOL), participam, amanhã (21), do Diálogo da Indústria, evento promovido pela FIEPE. Ponto de Vista 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações