Mastologista do IMIP fala sobre aumento dos casos de câncer de mama em mulheres abaixo dos 40 anos - Blog Petrolina em Destaque

1 de ago de 2018

Mastologista do IMIP fala sobre aumento dos casos de câncer de mama em mulheres abaixo dos 40 anos


De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), houve um aumento de casos de câncer de mama em mulheres com menos de 40 anos. Em entrevista recente ao programa Bom Dia Pernambuco, da Globo, a coordenadora do serviço de Mastologia do IMIP, doutora Isabel Pereira, explicou que um dos principais problemas para o enfrentamento à doença é de que ainda não é possível saber o que causa o câncer de mama.
“Na verdade, não se sabe a causa, mas a gente sabe que 6% dos cânceres de mama ocorrem abaixo dos 40 anos. E talvez essa porcentagem seja ainda maior”, alertou a especialista, acrescentando que o aumento de pesquisas na área busca entender justamente o que causa a doença.
Este é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano, segundo dados do Inca. A doença também acomete homens, porém os casos são raros, representando apenas 1% do total.
Existem algumas formas de identificar o câncer de mama e uma delas é o auto-exame. No entanto, a coordenadora do serviço de Mastologia do IMIP lembra que o procedimento não previne o que os médicos desejam: o diagnóstico precoce. “Para que a pessoa sinta o nódulo ele já não é inicial. Na realidade, todas as pessoas deveriam ir ao médico regularmente e as pacientes jovens, além do exame mamário realizado pelo médico, deveriam ser submetidas à ultrassonografia de mama”, destacou.
No caso do exame de mamografia, ele é iniciado após os 40 anos, mas a paciente pode começar a realizar antes desta idade. “Ela pode e deve ser começada antes caso o médico suspeite de alguma alteração ou a paciente tenha histórico familiar de câncer de mama”, explicou. “Porque não se faz mamografia abaixo dos 40? Porque muitas vezes ela não nos ajuda, é por isso que a gente pede o ultrassom mamário e fazemos apalpação”, completou.
De acordo com doutora Isabel Pereira, no Brasil, há duas diretrizes sobre o momento em que o exame deve ser iniciado. “Uma é do Inca que é de fazer a mamografia partir dos 50 e a outra, que é da Febasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), que é fazer a partir dos 40. No IMIP nós fazemos a partir dos 40”, apontou doutora Isabel.
Mitos
Segundo a especialista, a colocação de próteses mamárias causa câncer de mama, mas dependendo da forma como for colocada, ela pode dificultar a detecção do problema.
Sutiãs apertados também não causam câncer de mama. Da mesma forma como também não há comprovação científica de que o uso de desodorantes antitranspirantes pode causar câncer.
Sintomas 
O câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais, na maioria dos casos, por meio dos seguintes sinais e sintomas:
– Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
-Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
– Alterações no bico do peito (mamilo);
– Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
– Saída de líquido anormal das mamas;
Esses sinais e sintomas devem sempre ser investigados, porém podem estar relacionados a doenças benignas da mama.
A postura atenta das mulheres em relação à saúde das mamas, que significa conhecer o que é normal em seu corpo e quais as alterações consideradas suspeitas de câncer de mama, é fundamental para a detecção precoce dessa doença. (Ascom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações