Após estudante ser agredida por suposto mototaxista em Petrolina, órgãos fiscalizadores da região se manifestam - Blog Petrolina em Destaque

9 de nov de 2018

Após estudante ser agredida por suposto mototaxista em Petrolina, órgãos fiscalizadores da região se manifestam



Após a notícia de que uma estudante teria sido agredida e assaltada por um suposto mototaxista de Juazeiro-BA, na noite desta quarta-feira (7), no município vizinho,  Petrolina-PE, a redação do portal Preto No Branco entrou em contato com os órgãos fiscalizadores do serviço nas duas cidades.


Em nota a Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (Ammpla) declarou que “tem intensificado as fiscalizações acerca do serviço na cidade. Diariamente, os agentes de fiscalização fazem blitz nas quais abordam os mototaxistas para verificar, entre outros itens, o Termo de Permissão (TP) cujo número deve ficar afixado no veículo autorizado”.

O órgão disse ainda que como medida de segurança proibiu os mototaxistas de usarem a balaclava, mais conhecida como touca ninja. A  peça geralmente é utilizada por grupos de operações policiais dos Estados da Federação com o objetivo de servir como proteção da face do agente contra pequenos estilhaços, farpas ou fragmentos em combate, além de possibilitar a camuflagem completa do agente nas operações realizadas, dissimulando sua expressão facial. “Quem for flagrado com a touca pode ser autuado e pagar uma multa de R$ 150 como prevê o Decreto 83 de 2009”, acrescentou a Ammpla.

O órgão finalizou orientando que o usuário que verificar qualquer irregularidade nas vestimentas, na plotagem da moto ou no numero de permissão deve anotar a placa da moto e denunciar o caso à Policia Militar ou à Ouvidoria do Município através do 156.

A Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte de Juazeiro (CSTT) também afirmou que “vem realizando fiscalizações diárias para coibir o transporte clandestino em Juazeiro. No início deste ano, foi realizada uma intensa campanha nas redes sociais e nas rádios orientando as pessoas como identificar o mototaxista legalizado”.

De acordo com o órgão, atualmente existem 700 mototaxistas cadastrados na Companhia e para se tornar um permissionário todos apresentaram cópias e originais da CNH categoria A, comprovante de residência (atual), documentação do veículo, antecedentes criminais, duas fotos 3×4, nada consta na CNH e comprovante de pagamento de INSS. “Toda essa documentação também é exigida anualmente durante as vistorias”, esclareceu.

A CSTT informou ainda que o mototaxista legalizado possui a motocicleta com placa vermelha, plotada em amarelo, com o número do alvará e a logomarca da CSTT nas laterais. “Também utilizam uma camisa amarela com o número do alvará, a logomarca da CSTT e o brasão do município nas laterais, além do colete amarelo. O alvará é de porte obrigatório e qualquer usuário pode exigir que o mototáxi apresente o alvará”.

A companhia esclareceu ainda que os mototaxistas cadastrados em Juazeiro sabem que não podem atuar em Petrolina. “A CSTT também não pode realizar fiscalização na cidade pernambucana, portanto, cabe à Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (AMMPLA) fiscalizar e punir os clandestinos que atuam lá. Para denunciar o transporte clandestino em Juazeiro é só ligar para o 3611-8836 ou 153 da Guarda Municipal”, finalizou.

A nossa redação também tentou contato com alguma representação da classe dos Mototaxistas de Juazeiro, mas fomos informados que a Associação que atuava na cidade não existe mais.

Entenda o caso

Em entrevista à uma rádio local na manhã de hoje (8), uma professora da vítima informou que a corrida foi iniciada na Praça da Sementeira e tinha como destino final a Cohab Massangano, mas o suspeito desviou o caminho e seguiu para uma estrada de terra, onde aconteceu a agressão. Segundo a professora, ele teria dito que estava com a documentação da moto atrasada e que a Polícia Federal estava na pista da Cohab, e que portanto precisaria desviar o caminho.

Desconfiada, a jovem tentou tirar o capacete, ainda com a moto em movimento, mas teve a perna segurada pelo suposto profissional. Ainda assim, ela conseguiu pular da moto, mas o mototaxista conseguiu correr atrás da vítima. O homem, segundo a professora, puxou o cabelo da estudante e a agrediu com chutes. A bolsa, com documentos e outros pertences da vítima, foi roubada. O assaltante fugiu.

A jovem foi socorrida por policiais do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp) e socorrida para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). As informações são do blog Waldiney Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações