Major da PM envolvido em caso de agressão é exonerado do Comando da Cipe Caatinga - Blog Petrolina em Destaque

1 de nov de 2018

Major da PM envolvido em caso de agressão é exonerado do Comando da Cipe Caatinga



(Portal Preto no Branco)
O Major da Polícia Militar, Wildon Teixeira dos Reis, foi exonerado do cargo de Comandante da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Caatinga. A exoneração foi publicada no Diário Oficial do estado desta quarta-feira (31).
O PM, que estava no cargo de Comandante da Cipe/Caatinga desde março de 2015, assumirá a função de Coordenador II da Ouvidoria da PM, órgão que também faz parte da estrutura da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). A exoneração do agente acontece meses após um caso de agressão envolvendo o policial.
Na noite do dia 29 de julho, um rapaz de prenome Marcelo disse ter sido agredido pelo Major Wildon em um bar que fica localizado no bairro Palmares. A vítima teria feito um comentário que contrariou o policial e por isso foi agredido pelo militar.
O rapaz não reagiu e se retirou do ambiente, assim que foi agredido, de acordo com testemunhas. “Eu estava no banheiro quando ouvi o Marcelo falando que banheiro de bares poderia ser único para mulheres e homens. Nisso o major entrou, não gostou do comentário que ouviu e começou a rebater. Ele ficou discutindo sozinho, porque o Marcelo não fez nada. Ele só disse que tava brincando, mas o policial deu um tapa na cabeça dele”, contou uma testemunha do fato.
Após a saída do agredido, segundo a testemunha, o policial bastante alterado sacou uma arma, apontando aleatoriamente dentro do bar. Um homem que estava na mesa dele, interveio e conseguiu que ele guardasse a arma. Mas o Major não parou por aí.
“O Marcelo foi logo embora com a esposa. O major começou a gritar, totalmente descontrolado, sacou uma arma apontando pra todo mundo, gritando histericamente. Um amigo começou a lutar para tirar a arma dele e logo depois ele se aquietou na mesa. Foi quando um rapaz que eu conheço por nome de Gerson foi se despedir das pessoas que estavam na mesa do Major e também falou com ele tentando apaziguar a situação. O policial sacou novamente a arma atirando contra Gerson que se dirigia para o estacionamento onde estava seu carro. Só escutei até o terceiro tiro, porque fiquei em estado de choque”, narrou a testemunha.
Gerson não foi atingido pelos disparos e o Major deixou o local gritando que “da próxima vez que fosse ao bar, queria ver banheiros para homens e mulheres”, contou a testemunha.
Na época, o PNB ouviu o coronel Anselmo Bispo, do Comando de Policiamento da Região Norte (CPRN), que garantiu já estar tomando as providências.
“Já tomamos a providência de ouvir o proprietário do estabelecimento, recolhemos as imagens, anexamos ao relatório e já comunicamos ao Comando Geral da PMBA. O proprietário também foi orientado a prestar queixa na DPC e anexar as imagens para um futuro inquérito. A partir daí, iremos instaurar um procedimento administrativo para apuração dos fatos, convocando as outras vítimas para depoimentos”, informou o coronel.
Outro caso
Em junho do ano passado, o PNB publicou uma matéria sobre agressão sofrida por um grupo de amigos formado, em sua maioria, por profissionais de imprensa de Juazeiro, que se reunia em um bar também no bairro Pedra do Lorde. O grupo foi surpreendido por um homem de arma em punho, que chegou ameaçando e agredindo as pessoas. Ele chegou a bater em duas pessoas que estavam na mesa. O Major Wildon estava com o acusado da agressão, que também era um policial da CIPE/CAATINGA. De acordo com as vítimas, ele assistiu a cena de agressão sem adotar nenhuma postura (Preto no Branco)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações