Vigilante espera há cinco meses por cirurgia de amputação, no Hospital Universitário de Petrolina - Blog Petrolina em Destaque

31 de jan de 2019

Vigilante espera há cinco meses por cirurgia de amputação, no Hospital Universitário de Petrolina


Após sofrer um acidente de moto em julho do ano passado, o vigilante Cristiano de Souza Rodrigues, de 33 anos, foi internado no Hospital Universitário (HU), em Petrolina, Sertão de Pernambuco, onde os médicos descobriram que além de ter quebrado o pé esquerdo, ele tem neurofibromatose na mesma perna, uma doença hereditária que provoca o crescimento anormal de tecido nervoso pelo corpo, formando pequenos tumores externos. Depois de fazer uma biópsia em Recife, o médico recomendou a amputação da perna, o que até hoje não foi feito.

“Estou aguardado o hospital fazer a minha cirurgia e até hoje, dia após dia, e nunca chega esse dia”, afirma Cristiano, temendo que o problema piore.

“Tenho medo de aparecer alguma infecção por causa da fratura e essa infecção agravar o corpo”.

Em casa, Cristiano anda com o auxílio de muletas, mas como não consegue colocar o pé no chão ele necessita da ajuda de outras pessoas para fazer algumas atividades do dia adia. “Até para escovar os dentes o pessoal tem que levar o material porque não consigo botar o pé no chão. Se eu tivesse feito minha cirurgia, podia fazer algumas coisas só. Hoje tudo o que eu tenho pra fazer é dependendo dos outros. [a demora] Só atrapalha mesmo. Está complicado pra mim”, lamenta.

Os familiares do vigilante vão com frequência ao Hospital Universitário, para saber se há algum prazo para a realização da cirurgia. No entanto, segundo eles, a resposta dos funcionários é sempre a mesmo, que não há vaga no HU, e que o Cristiano precisa esperar.

Em nota, o Hospital Universitário disse que o paciente está na fila de espera para fazer a cirurgia, que é considerada eletiva. A nota informou também que o caso está sendo acompanhado pela ouvidoria do hospital, para que a situação seja solucionada dentro das possibilidades da unidade, mas nenhum prazo foi dado para que o procedimento seja feito.

Confira a nota na íntegra
O senhor Cristiano de Sousa Rodrigues (33) vem sendo acompanhado pela equipe médica do ambulatório do HU-Univasf enquanto aguarda na fila das cirurgias eletivas. Os familiares do paciente, recentemente, realizaram um registrado na Ouvidoria da unidade e esta vem tomando todas as medidas necessárias para resolver o caso dentro das possibilidades atuais do hospital.

O Hospital Universitário compreende a aflição do paciente e de seus familiares, mas ressalta que o fato de ser a única unidade pública de saúde de média e alta complexidade para 53 municípios causa sobrecarga nos fluxos assistenciais. Nesse contexto, oferta uma quantidade de atendimentos bem maior que sua capacidade instalada, operando frequentemente com uma taxa de ocupação superior a 150%.

A resolutividade desse estado de superlotação está além da governabilidade do HU-Univasf e depende de uma readequação e ampliação da rede de saúde pública do Vale do São Francisco.

G1 Petrolina 

Um comentário:

  1. Também tenho um parente na mesma situação... Já faz três anos que esta na fila nuca foi chamada precisar de uma cirurgia com vascular pois teve um desligamento da vei safena via principal pra uma das pernas e esta em rico,de prende a pena dia 29.01 .2019 por muito existir desse que era pra ele refazer todos os exames de novo... Ai fica só nessa gastando fazendo exames e nada da cirurgia, há que ele esta na fila de espera pq há não deu a ordem pra enterna e fazer os exames la dentro do hospital afinal os exames venceram por demora do hospital que demora a chamar os pacientes😈😈😈😈

    ResponderExcluir

Indentifique-se e não seja vulgar!
Obrigado..

Total de visualizações